No mar

As praias do Brasil são lindas. A areia é branca. A água do Atlântico tem a temperatura certa. A cerveja é gelada e as mulheres quentes. Mas o sol não se põe no mar na maior parte da costa. E quase não temos cenas como essas, registradas pelos darlings Andrea e Xú em viagem recente à Tailândia. Babemos...

    

 

 

PS: Tailândia está no topo da minha lista de viagens...mas já foi adiada duas vezes devido a necessidade emergencial de matar a saudade da terra onde o sol-não-se-põe-no mar...

Por aí

Ainda falando de moda...e de verão. Andei observando as tendências que as meninas estão adotando. Porque muitas vezes o que aparece nas revistas e o que a gente vê nas ruas não tem muita relação. Por exemplo, as revistas trazem páginas e páginas de moda praia, mil biquínis, bronzeadores, maquiagens, etc. Parece que, passou dos 25 graus, vai todo mundo para a praia ali na esquina, uma coisa assim Rio ou Barcelona. Mas eu sei que a realidade é bem diferente e que aqui os biquínis acabam durando anos e os bronzeadores idem (o que não ajuda muito ja que eles vencem depois de um ano, ou será uma conspiração da indústria para comprarmos protetores novos a cada ano?). Outro exemplo são os shorts...há uns 3 verões que Vogue & cia anunciam que será o verão dos shorts. Num país onde a temperatura vai caindo em PA e o diâmetro das coxas cresce em PG (lembram?). Mas, surpresa, neste ano vi algumas meninas estilosas de bermudas. E salto. E funciona. Para trabalhar! Ponto pra elas. Mas shorts, só na praia. Ou na Gisele.

Enfim, aqui vai uma listinha do que ando vendo pelas ruas...Tirei as fotos do Ebay que, para mim, é o termômetro do que o povo está usando.

  Bermudas: Mais compridas, com regatas e plataformas...

 Calças curtas: Principalmente jeans. Ou curto, ou comprido mesmo, dobrado! Adoro e funciona com quase todos os modelos de jeans...

 Saias de cigana: Já fiz um post inteiro declarando minha irritação com a overdose de ciganas-urbanas. E a coisa só vem piorando. São tão lindinhas, mas ficaram tão banais. As hordas (de pré-adolescentes a tiazinhas) usam com regatinhas de algodão e chinelos ou sapatilhas nos pés. Com bota de cowboy merece prisão perpétua.

 Jaqueta náutica: Outra moda que achei que não ia pegar, mas acabou pegando. Mas só a jaqueta, usada com jeans. Não as idéias esdrúxulas que andei lendo por aí (tipo "pegue pedaços de tecido e torça, criando um colar náutico")

 África: tudo é África nesse verão. Nas ruas, principalmente colares e braceletes. A maioria está pegando leve, mas vi um colar em uma loja que tinha penas, madeira, marfm, contas de plástico e metal. Tudo no mesmo colar. Menos é mais, pessoas! Desnecessário.

 Kaftan: Outra tendência étnica que pegou. Para usar com jeans, como saída de praia ou como vestido, com cinto. Tenho que confessar, outra modinha que já está me irritando. Fica ok em morenas exóticas, mas meio forçado em loiras cor-de-pastel.

 Sapatilhas enfeitadas: Acho fofas. Mas será que não faz pé grande parecer lancha? E no calor, será que não dá chulé? Ainda não comprei para testar.

 Espadrilhas e plataformas em geral: Eba! Minhas sandálias favoritas estão na moda, o que significa que tem vários modelos ótimos para vender . Mas também que todo mundo está usando . As espadrilhas são essas da foto, de tecido e que amarra no tornozelo. Nunca usei, mas andei lendo que sapatos de amarrar no tornozelo não funcionam bem: ou machuca o tornozelo, ou fica saindo do pé.

Liquidando

Começaram as liquidações! Loucura total, mulheres ensandecidas se estapeando por vestidos esvoaçantes, negociações delicadas entre lulus que agarraram os dois pés do mesmo par de sapato, finas escalando Everests de seda e chiffon. Ah, as liquidações! Diferente de outros lugares, as liquidações aqui são boas mesmo e nenhuma loja aumenta os preços uma semana antes de colocar uma tarja vermelha anunciando "50% off". Eu sei porque já precisei remarcar o estoque inteiro de um departamento todo da imensa Topshop. E porque acompanho atentamente os preços das coisas fofas que não posso comprar!

Enfim, minhas liquidações preferidas são da Topshop, H&M, French Connection e GAP. Adoraria dizer Harvey Nichols, Prada, Marc Jacobs e Miu Miu, mas infelizmente essas nem na liquidação. Em homenagem à temporada de loucura fashion, fiz uma listinha dos melhores e piores da minha tragetória de barganhas. Quero saber também as memórias-de-liquidação de vocês!!!

Summer and the city

Existem duas cidades completamente diferentes: Londres no inverno e Londres no verão. Parece que o sol transfere a cidade para uma outra dimensão, como no desenho do Super-Homem, em que tinha o Super-Homem bonzinho em uma dimensão, mas se você dissesse o nome do vilão-anão ao contrário - Mxyzptlk - iria para a dimensão onde, quem diria, Super-Homem era malvado. Aqui em Londres as pessoas passam de peles brancas, casacos pretos e humores cinzas do inverno para peles vermelhas-não-usei-protetor ou laranja-bronzeamento-artificial, vestidinhos coloridos e humores idem do verão. Sai vinho tinto, entra pims & lemonade (meu novo drink preferido). Qualquer pedacinho de grama vira mesa de picnic na hora do almoço, crianças pequenas e nem tão pequenas tomam banho nas fontes da cidade e churrasco vira programa obrigatório nos finais de semana. Claro que, com um verão tão curto, Londres também sofre com a falta de ar condicionado na maioria dos lugares (inclusive aqui de onde esta pessoa em ebulição escreve), a expansão dos trilhos do metrô por causa do calor (sério, aconteceu ano passado) e o excesso de pernas branquelas andando por aí. Mas, depois de longos meses de tenebroso inverno, a empolgação é contagiante. E lá vamos nós botar as pernas (agora já nem tão) brancas de fora, sentar na praça embaixo do sol e sorrir só porque o termômetro passou da casa dos 20 graus!

 

Meninas

Eu surto com minha brancura, me irrito com a overdose de saias de cigana, fico debatendo se devo explicar ao gringo lindo o que é celulite. Faço meu tricô, tenho dias magros, dias gordos, dias bons, dias ruins. E sigo a vida sendo menina. E, no fundo, acho que meninas são meninas em todos os lugares. Tão diferentes, porém tão parecidas. Por isso me arrepio e me entristeço cada vez que vejo outras meninas perdendo seu direito de serem meninas. Um direito que tantas vezes parece ser tão descartável para tantas sociedades e religiões machistas em tantos lugares. Este caso vem do Iraque. Uma menina como eu, uma menina com um blog, uma menina que gosta de escrever, uma menina menina. Que vai contando como por lá está difícil ser menina, ser qualquer coisa na verdade. Como diz o nome do blog dela, Baghdad is Burning (http://riverbendblog.blogspot.com). Blog ultra recomendado. Meus pensamentos hoje estão com Riverbend. Aqui vai um trecho...

"They try to give impressive interviews to western press but the situation is wholly different on the inside. Women feel it the most. There's an almost constant pressure in Baghdad from these parties for women to cover up what little they have showing. There's a pressure in many colleges for the segregation of males and females. There are the threats, and the printed and verbal warnings, and sometimes we hear of attacks or insults. You feel it all around you. It begins slowly and almost insidiously....

You stop wearing slacks or jeans or skirts that show any leg because you don't want to be stopped in the street and lectured by someone who doesn't approve. You stop wearing short sleeves and start preferring wider shirts with a collar that will cover up some of you neck. You stop letting your hair flow because you don't want to attract attention to it. On the days when you forget to pull it back into a ponytail, you want to kick yourself and you rummage around in your handbag trying to find a hair band… hell, a rubber band to pull back your hair and make sure you attract less attention from *them*....

We were seriously discussing this situation the other day with a friend. The subject of the veil and hijab came up and I confessed my fear that while they might not make it a law, there would be enough pressure to make it a requirement for women when they leave their homes. He shrugged his shoulders and said, "Well women in Iran will tell you it's not so bad- you know that they just throw something on their heads and use makeup and go places, etc." True enough. But it wasn't like that at the beginning. It took them over two decades to be able to do that. In the eighties, women were hauled off the streets and detained or beaten for the way they dressed. It's also not about covering the hair. I have many relatives and friends who wore a hijab before the war. It's the principle. It's having so little freedom that even your wardrobe is dictated. And wardrobe is just the tip of the iceberg. There are clerics and men who believe women shouldn't be able to work or that they shouldn't be allowed to do certain jobs or study in specific fields. Something that disturbed me about the election forms was that it indicated whether the voter was 'male' or 'female'- why should that matter? Could it be because in Shari'a, a women's vote or voice counts for half of that of a man? Will they implement that in the future?"

I am a hacker girl!

Sabe aqueles emails sobre alongamento de pênis, Viagra, hot bored housewives show you all, diplomas de Harvard pelo correio e ganhe US$999999999 sem sair de casa? Então, ups, pode ser que eles estejam saindo do meu computador. Que, ao que parece, foi invadido por hackers. Fato que descobrimos depois de uma ligação de nosso servidor ao gringo lindo.

  • SERVIDOR - Hi Mr. Gringo Lindo. Por um acaso o senhor está mandando um número muito elevado de emails por dia?
  • GRINGO LINDO - Sim, mais ou menos 500 por dia.
  • SERVIDOR - Não, tem 5 MIL emails sendo enviados diariamente do seu servidor (ou IP adress ou algo assim).
  • GRINGO LINDO - &*$#!@$%$%¨&#$

Pânico em BucklandCourtLand. Nossas senhas! Nossas fotos . Nossa privacidade e dignidade! Malditos hackers! Malditos dowloads ilegais de música!

Bem, depois de deixar a Symantec 50 libras mais rica e adquirir um "personal internet secury system" (god, aren't we growing up!), problema resolvido.

Mas para sempre me sentirei uma pontinha de culpa (e talvez de orgulho) toda vez que alguém ganhar alguns centímetros extras no baixo meretrício ou uma desperate housewife com as curvas da Gabrielle.

Bem-me-quer - a missão

O post abaixo gerou váaaarios e óooootemos comentários de londrinos, ex-londrinos e londrinos pero no mucho e por isso merece virar dobradinha!  Aqui vai a seleção de comentários, de autoria de:

 Karina   Starobas   Carols   Andrea

Bem-nos-quer London

  • VPL - Visible paintie line (starobas)
  • ENGLISH BREAKFAST - English breafast podrão num pé-sujo em frente ao Kings Cross Thameslink, eggs, bacon, beans, hash browns, 2 toast, tea with milk (starobas com yummis gerais)
  • BRINDES DE REVISTAS - bolsas, biquínis e óculos escuros (carols)
  • BAGUETTE DO SANSBURY'S - Com um naco de manteiga slightly salted é tudo. Dá até pra trair o pão francês sem dor na consciência! (andrea)
  • COISITAS - cera da Tony and Guy, meias de 1 pound, pão da Percy and Igle, todos os tipos no metrô, baladas ótimas, calcinha fio dental, baked beans on toast! (karina)
  • ACESSO - mamatas para deficientes físicos - shows, teatros e muitos cinemas me deixam levar um "carer" de graça, então sempre tem uma gatinha pra cuidar de mim...No Eurostar, a rainha das mamatas: como não tem assento pra cadeira de rodas na Segunda Classe, pago tarifa promocional de primeira (59 libras return) na First...encho a cara, o bucho, leio e levo todas as revistas, até a Vogue e a Cosmopolitan pras amigas...consumo os 59 e a viagem sai na vascaína. (starobas)

Mal-nos-quer London

  • INGLESAS COM VLP - As inglesas desbundadas que as vestem (starobas)
  • ENGLISH BREAKFAST - It's after-effects (starobas)
  • GENETICAMENTE MODIFICADO - frutas sem gosto (karina)
  • EFEITO SARDINHA - metrô lotado das 6pm, bloody sardine can!!!! (carols)
  • PEOPLE - pessoas grossas, principalmente vendedores e motoristas de mini-cab (karina)
  • NOITES COMPLICADAS - pubs fechando as 11pm, ter que voltar da balada de night bus (karina)
  • ACESSO NEGADO - predios velhos, sem elevador, escadas e mais escadas, difícil ir na casa das pessoas, também não posso pegar o metrô, e alguns bouncers não me deixam entrar nos clubs porque me consideram um "fire hazard" (starobas)

PS: quem já tomou café-da-manhã pós-bagaceira em BucklandCourtland sabe que o baked beans on toast é nervoso e não deve nada a sujinhos de Kings Cross! Que venha la gordura!

Bem-me-quer

Meu affair com Londres tem fases. É uma relação intensa, uma coisa amor-e-ódio. Não consigo pensar em ir embora agora, não consigo pensar em ficar para sempre. Estava pensando sobre isso, olhando feliz a cidade mudar com a aproximação do verão. E resolvi fazer uma listinha do que eu amo e odeio nesta que hoje é mais a cidade do curry do que de fish and chips. Claro que vou lembrar de mil outras coisas assim que postar...mas, para minha absoluta surpresa de criatura reclamona, consegui pensar em mais coisas legais do que coisas ruins.

 

Foto: Marcelito Starobas

 

Bem-me-quer London 

  • AS QUATRO ESTAÇÕES - aqui, as estações são bem determinadas, a cidade muda, você muda e a árvore em frente à minha janela muda.
  • OS HOMENS NUNCA MEXEM COM VOCÊ - nem mesmo na obra.
  • NÃO PRECISAR DE CARRO - poder depender de ônibus, metrô ou das minhas pernas.
  • EUROPA - qualquer lugar da Europa está a uma Easyjet de distância.
  • POUNDS - Pode ser caro morar aqui, mas é uma delícia viajar com libras. A moeda é forte e tudo fica baratinho. Se bem que aí eu acabo gastando muito porque tudo é baratinho...mas isso é outra história.
  • SEGURANÇA - Temer apenas pelos meus bens materiais, nunca pela minha vida.
  • ROTATIVIDADE - Tem sempre alguém querido chegando.
  • LOJAS ÓTEMAS - Topshop ($$), H&M ($), Primark (-). I love you all!
  • PARQUES - Para quando o tempo ajuda, tem um parque a cada esquina.

Mal-me-quer-London

  • INVERNO ETERNO - é frio, é escuro e demora séculos para passar.
  • OS HOMENS NUNCA MEXEM COM VOCÊ - nem mesmo na obra.
  • PREÇOS - tudo é caro, até o programinha mais básico de cinema-jantarzinho fica sendo luxo.
  • ROTATIVIDADE - Tem sempre alguém querido indo embora.
  • INGLESAS - São sem sal, vêem outras mulheres como competição e não dão papo em banheiro de bar. Mas, claro, há várias excessões!
  • COMIDA - Parece que já melhorou muito, mas ainda deixa a desejar. Muito pão branco de forma, muito enlatado, muito sanduíche sem recheio suficiente. É por isso que eu aprendi a cozinhar!
  • PUBS FECHANDO ÀS 23HS (adendo) - Como pude esquecer! Mal-me-quer forever!

Branca de Neve

Eu me rendi! Depois de 4 longos e tenebrosos invernos cheguei no fundo do poço da brancura. Pernas brancas, braços brancos. Veias azuis. Não faço o estilo pálida-chic. Estava mais para Morticia do que para Amelie.

Passado o choque inicial e a fase de negação, veio a dúvida: consigo esperar até o pico do verão? E mesmo assim, será que desta vez pego uma cor? Resposta: Não! Ok, tenho então competência para usar cremes autobronzeadores? Resposta imediata: HAHAHA! NÃO! E como este ano é do galo e não da zebra, saí em busca de soluções à prova de mim. E encontrei, vendo um comercial da Johnson's na TV!

  • Johnson's: "Why should tanned and glowing skin be something you have just after your summer holiday?"
  • Eu sentadinha no sofá: "It shouldn't! E meu summer holiday ainda demora. E se chover? Eu estava planejando usar minha saia branca linda antes de agosto, Johnson's.
  • Johnson's: "Now, thanks to Johnson's Holiday Skin Body Lotion you can have a light tan all year round. Johnson's have added a small amount of tanning ingredient to their best body lotion."
  • Eu pulando do sofá: "EEEEEEEEBA! Viva a Johnson's. Eu quero! YUPIIIIIIIIII! (só quem já passou mais de dois invernos na Brancolândia entende minha empolgação).

Resumo da opereta, fui atrás do tal creminho. E depois de muito procurar, descobri que o treco virou febre e mal esquenta a prateleira. Mas, mancomunada com a vendedora, estabeleci um plano de ação. Comecei a passar na farmácia antes do trabalho, até que consegui chegar antes das hordas e garantir meu exemplar! (Novamente, só aceito críticas e piadinhas de quem já ficou tão branca que perdeu a marca de biquíni). Creme em mãos, comecei meu processo de desbrancura.

Em breve: estará Guerreira ficando dourado-Gisele ou laranja-Pamela? Aguardemos!

A fauna e a flora

Estava pensando em como morar em Londres é uma experiência multicultural. Clichê, eu sei. Mas verdade.
O meu prédio é um exemplo. No meu apartamento já tem a mistura fina de cachaça com schnapps. Do lado esquerdo mora uma atriz indiana bacana. Do lado direito, uma enfermeira chinesa folgada e que não me fala oi. Ao lado dela, dois albaneses que têm cara de malvados mas são gente boa. Em cima, mais um casal improvável, um marroquino tímido e uma canadense divertida. Do lado deles, bom, lá mora um inglês mesmo, talvez o único do prédio todo. Um veterano de guerra levemente perturbado que não ouve direito, fala gritando, limpa janelas e já me deu dicas de como os soldados fazem para alargar botas apertadas (enche o sapato com jornal embebido em um produto que esqueci o nome - sorry - e deixa por várias horas).
London, London...

Santa criatividade

Estava eu lendo uma matéria longuíssima em uma revista outro dia, contando a história de um fulano que abriu mais uma igreja pentecostal em mais uma cidadezinha obscura no meio de um Estado obscuro dos Estados Unidos (onde mais?!). A matéria tinha umas 5 páginas e lá pelas tantas eu pensei em desistir da leitura, afinal, igrejas definitivamente não estão entre meus temas preferidos. Mas acabei prosseguindo. E minha insistência foi recompensada. A matéria estava explicando como o fulano conseguiu reunir 15 mil fiéis, unindo religião com serviços à comunidade. Entre esses serviços estavam consultoria financeira, cursos e aulas de aeróbica para jovens mães. Enquanto queimam calorias, elas contam ainda com uma creche para olhar os anjinhos. Boa idéia? Talvez. Mas genial mesmo é o nome da aula de aeróbica: "FIRM BELIEVERS".

Tricotando

Parece que é moda. Que está voltando, em meio a uma onda de "faça você mesmo" e "cansamos de ser feministas, queremos ficar em casa fazendo bordados e biscoitos amanteigados". Mas eu comecei a fazer mesmo porque queria um passatempo para os longos meses de inverno. Algo que fizesse as horas na frente da TV parecerem menos inúteis. E porque estava tendo um surto de querer ser produtiva!. Bingo! Tricô!

Aprender não foi fácil e é um dos meus orgulhos (depois de tentar, sem sucesso, aprender a tocar violão, pintar, dar parada de mão...). Mas, com a ajuda do livro "Stitch 'N Bitch: The Knitter's Handbook" e depois de alguns ataques de nervos, deu certo.

Precisa de paciência. Ainda mais para quem, como eu, é canhota e descordenada. No livro, sugeriram fazer como destro mesmo, ou aprender em frente ao espelho. Imagina, que complicação! Então resolvi desenferrujar a mão direita. Mas fora essa idéia nonsense, o livro é ótimo. É moderno e engraçado, os desenhos são claros e no final tem receitas para tricotar coisas super legais. Eu já tricotei dois cachecóis, uma faixa de cabelo e agora estou fazendo um cachecol mais complexo que se o gringo lindo não usar apanha!

Depois que comecei, descobri que várias meninas que conheço são tricoteiras. E até conheci um menino fofo que sabe tricotar. Nós ainda vamos dominar o mundo!

Café...gelado

Minha nova mania é café gelado. Tomos pelo menos um por dia. Isso depois que eu decidi que cafeína faz bem, ativa os neurônios e outras cositas más. E que tomar chá é coisa de inglês ou Dalai Lama (essa parte é inveja pura, porque adoraria ser uma pessoa que toma chá de ervas, acho lindo...mas é ruim e deixa a boca seca, não consigo, maldição).

Mas voltando ao café gelado. Eles têm em todas as cafeterias de Londres, na versão café com gelo ou raspaninha de café (que chama frapuccino). Sempre em balde, porque é assim que se toma café aqui. E custando os óio. Aí um dia resolvi fazer meu próprio café gelado. E, surpresa, ficou bom. E barato! Então é assim:

Coloca uma colher de chá de café instantâneo na caneca. Aí coloca só um tiquinho de água fervendo, só o suficiente para dissolver o café. Enche a caneca de leite gelado, adoça e coloca duas pedrinhas de gelo. Bom para o verão londrino que se aproxima (dizem) e para o verão eterno brasileiro.

 

Sorry

Leitores amados,

Vocês vão reparar que estou republicando alguns posts. É que descobri que posso classificá-los por categoria, do lado direito, assim fica bem mais fácil de arquivar e reler (EBA!). Mas descobri também que não posso mudar a categoria das mensagens já publicadas (BUUUU!).

Então peço a paciência de vocês. É só ignorar o que já foi lido. Ou ler de novo, é o mesmo preço!

E aproveitando, obrigada pelos comentários fofos! Keep them coming!

Preguiça

Sabe aquele dia que você acorda com o cabo de guarda-chuva na boca, o badalo da catedral da Sé na cabeça e o rímel do dia anterior? Ou aquele em que chove lá fora, você está sem ninguém para chamar de seu, de calça furada e enrolada feito burrito no edredon? Então, nesses dias nada melhor do que "confort food". É um conceito que conheci aqui. É simples, é bom, tem sustância e calorias. É fácil de fazer, mesmo quando o Tico liga dizendo que está doente e o Teco declara greve. Sem frescura ou ingredientes terminados em "inha". Então aqui vai uma das minhas receitinhas "confort" favoritas. Criação do gringo. A gente chama de "tuna and mash bake". Como fazemos tudo meio a olho, as quantidades são aproximadas...

Para o purê

  • Cerca de 10 batatas
  • Leite
  • 1 naco de manteiga
  • Sal
  • Pimenta
  • Pitada de noz moscada

Para o resto

  • 2 latas de atum
  • Suco de meio limão
  • Aproximadamente 300 gramas de queijo, ralado grosso (nós usamos o cheddar inglês, no Brasil pode ser prato ou outro queijo parecido)

Modo de fazer:

Mistura o suco de limão no atum e deixa de lado...

Faz o purê de batatas (cozinha as batatas no vapor, descasca, e amassa colocando a manteiga, o leite, sal, pimenta e noz moscada. A consistência tem que ser relativamente firme).

Em uma travessa coloca uma camada de purê, o atum, mais ou menos 200 gramas do queijo, pimenta. Em cima, outra camada de purê e o resto do queijo. Coloca no forno bem quente por uns 10 minutos ou até dourar o queijo de cima...

Para comer na frente da TV ou ouvindo música de dor de cotovelo! E de meias!

Só para olhar

Pessoas sem auto-controle, não leiam esse post. Se lerem, escondam o cartão de crédito. Se forem ricos, olhem o PS lá em baixo!

Um dos meus sites preferidos para os momentos de ócio produtivo é o net-a-porter (www.net-a-porter.com), a versão virtual de olhar vitrines na Oscar Freite, Bond Street ou Champs Elysee. Tem os designers mais legais do planeta, às vezes tem liquidação (de 100000 dólares para 800000 dólares) e não tem vendedoras cintura 35 que fazem supermercado de Channel. Eu já aviso que é pra passar nervoso. Mas já que é para passar nervoso, que seja com estilo! Aí vão alguns dos vestidos de verão mais fofos que encontrei nas minhas navegações recentes.

PS: Posso informar meu tamanho caso alguém esteja tendo uma crise de generosidade!!!

(Vestidos: Chloé, Juice Couture, Day Birger, Luisa Beccaria, Missoni e Miu Miu)

 

Shoyu com creme de leite

Eu não tenho muita paciência para "fusion food". Nem para a moda das comidas que acabam no diminutivo, como "purê de mandioquinha", "trouxinhas de abobrinha" e por aí vai.
Mas acabei me apaixonando por uma receita que encontrei num site e adaptei aos ingredientes que existem aqui em Londres (e que tem no Brasil também).
É fusion, porque mistura shoyu com creme de leite (calma, fica bom, eu prometo).
E tem abobrinha. E minimilho, que também é uma espécie de diminutivo...
Mas fica muito bom, então aqui vai a receita:


  • 500g de espaguete ou linguini (eu usei espaguete integral)
    1 pacote de minimilhos
    1 abobrinha
    sal e pimenta
    óleo (pode ser de girassol, azeite ou de gergelim)
    1 ou 2 colheres (chá) de gengibre ralado
    mais ou menos meio copo de shoyu
    200ml de creme de leite

Cozinha o macarrão...
Ferve ou cozinha no vapor os minimilhos (mas cuidado pra não ficar muito molenga)

Para o molho, coloca o óleo numa frigideira funda e leva ao fogo algo...coloca a abobrinha cortada em pedacinhos, deixa amolecer um pouco...depois coloca o gengibre e os minimilhos e deixa mais um pouquinho...
Acrescenta o shoyu, e por último o creme de leite.


Aí mistura com o macarrão e...

 bon apetit!

"Baby, I have celulite"

O gringo lindo sai do banho e entra no quarto com cara de preocupado. "Baby, I think I have celulite". Obviamente, eu resolvi imvestigar a questão de perto já que ele é A) homem B) magro e C) homem. De perto, o problema eram pequenas estrias no quadril, fruto dos 8 quilos ganhos (e bem-vindos), depois que o menino parou de fumar.

Eu, mestra nesses assuntos, pacientemente expliquei que aquilo não era celulite, e sim estria, que surge quando a pele perde a elasticidade blá, blá, blá.

Aí ele saca a temida pergunta: "mas então o que é celulite?". Por alguns segundos eu estava no paraíso. Meu deus, meu marido não sabe o que é celulite, que glória. Mas depois veio o pânico e a dúvida cruel. Deixo ele no escuro, sem saber o que é celulite, ou mostro um dos meus fiéis furinhos que há tanto tempo me acompanham? Obviamente, menina correta que sou, mostrei a ele a celulite. Mas escolhi um furinho isolado e profundo, assim quem sabe ele acha que os furinhos mais sutis não se encaixam na malvada categoria celulítica. Mesmo assim, passei uma tarde de paranóia pensando que agora ele finalmente conhece meu corpo em toda sua (nem sempre lisa) terminologia! Mas depois conclui que, se ele nem sabia como reconhecer uma celulite, é porque não deve se importar com ela. E como eu não confio em mulheres que não têm celulite, fui dormir feliz!

Eu e o yogui

Encostei a cabeça no joelho! De pé! Sou quase uma contorcionista!!!

São os benefícios da yoga, que estou fazendo desde o começo do ano. Meu professor é maravilhoso, se chama Alan Finger, e aparece na tela da minha TV sempre que eu quero!!! Pois é, nas férias de ano novo acordei em Vienna na casa de amigos ao som de aula de yoga. Que minha amiga fazia pela TV. Aí surgiu a idéia do DVD. E funciona! A pessoas me perguntam se eu tenho disciplina de fazer assim. Pra mim, disciplina é ir até a academia, trocar de roupa, ter que tomar banho, e ainda por cima aguentar esteiras de yoga Luis Vutton! Na minha casinha eu faço na hora que quero, com a roupa que estiver...é só tirar a mesinha, estender a esteira e apertar o play.

  Alan Finger

Já testei alguns DVDs diferentes, mas o Yoga Zone é de longe o melhor. O professor é cuidadoso, as meninas que demonstram são bonitinhas (num outro DVD a professora usava uma pochete! fazendo yoga!) e o ambiente é clean. Já já encomendo o DVD intermediário!

Recomendo! Eu comprei pela Amazon...o site do Yoga Zone, pra quem se animar, é http://www.yogazone.com/

 

 

Entendidas

Ser comprador deve ser a profissão mais legal do mundo. Você ganha para gastar o dinheiro dos outros. Ou será que, ao comprar algo que não será seu, você perde o barato quase narcótico de uma tarde cheia de sacolas? Algo a se considerar...

De qualquer forma, várias compradoras de lojas bacanas aqui da GB (como a Selfridges e a Beyond Retro) deram dicas de sobrevivência consumista na edição especial de moda verão da Observer Magazine (a revista do jornal Observer, o irmão dominical do Guardian).

Aqui vai uma seleção das mais legais...nenhuma grande novidade, mas pode ser útil para os dias em que a gente esquece o bom senso no estacionamento do shopping.

  • Jóias e bijuterias têm que combinar com o seu guarda-roupa. Se você usa camisetas com golas mais altas, compre correntes mais curtas. Se usa terninho para trabalhar, brincos pequenos ficam melhores.
  • Uma jóia ousada pode transformar um modelo. Quando me sinto sem inspiração de jeans e camiseta, um par de brincos rapidamente coloca algo a mais.
  • Troque sua lingerie a cada dois anos. É esse tempo que um sutiã vai durar se você lavá-lo a mão (ooops, imagino que 3 anos jogando na máquina é inaceitável, então?)
  • Compre vários jeans. Eu tenho pares para usar em dias magros e gordos.
  • Seja realista sobre seu tamanho. Tamanhos mudam - eu já fui 36 em uma loja e 42 em outra. O tamanho certo - qualquer que seja - cairá sempre melhor.
  • Cuidado com espelhos de lojas. Eles podem destorcer. Você pode acabar comprando um vestido achando que fica lindo, até chegar em casa e seu namorado dizer que sua bunda fica enorme nele. Só confie no espelho da sua casa.
  • Cuidado com o que usa com sapatos baixos. Uma minissaia com sapatilha pode ficar ótima na Kristen Dunst, mas não em todo mundo.
  • Tente comprar um modelo a partir dos sapatos. Se você não tem o sapato certo, pode acabar nunca vestindo a roupa.
  • Quando for comprar roupas usadas, cuidado com as manchas nas axilas. Algumas manchas de suor jurássico são impossíveis de tirar. 

[ ver mensagens anteriores ]