Freud my ass!

Dando início à série "Invasões Bárbaras" ou "Palpite no blog dos outros é refresco", ou ainda "Não é só a minha vida que é um seriado", segue a contribuição da blogueira convidada Denise.

 

Neurótica mas limpinha, vou numa primeira conversa com um psicólogo. Explico que parei com minha ex-psic pq ela não repunha sessões. O fulano engata quinta num discurso de 20 minutos sobre o absurdo e a total falta de respeito que é querer que o terapeuta reponha sessões. Ok, acho que não vai rolar então, digo eu. Não se dando por vencido, ele começa outro monólogo, dizendo agora que essa minha necessidade de repor sessões provém do meu medo de compromisso, com a terapia, com o trabalho, com a vida, e que é essa também a causa de toda a minha angústia, de todos os meus problemas. Sem contar do momento em que perguntei qual a formação dele, e ganhei um terceiro lero-lero com muita arrogância e pouca paciência.
Bom, então acho que vou embora, disse eu finalmente.
Ao que ele rebate, OK. São 200 reais.
O pior da história: o psicólogo tinha 2 tik nervoso no olho e era meio fanho. Ou seja, 50 anos de terapia sem faltar a sessão e o problema persiste.
E não, não paguei os 200 reais.

 

Três pensamentos sem relação aparente...

- Hoje está sol! Tudo bem que está 2 graus e amanhã vai chover. Mas hoje, está SOL! Fiquei tão, mas tão feliz que vim caminhando vestida de boneco de neve travestido de Bono Vox: casacão, cachecol, luvas, gorro, e óculos escuros. Pinga de cafona. Mas está SOL! Além disso, finalmente usei meus novos óculos sensacionais Chilly Beans, ou, como gosto de chamar, Dior de pobre.

 

- meu cabeleireiro tirou umas férias profissionais, aqui conhecidas como "career break". Ele nem cabeleireiro é, mas um colega-de trabalho-mãos-de-tesoura que corta meu cabelo, a seco, no meio do escritório, como ninguém nunca o fez. (Suspiros saudosos) Ele só volta no final de abril. Até lá, estou vivendo com duas fivelas tatuadas no alto da cabeça e tendo que rever minha teoria de que cabelos não devem, em hipótese alguma, passar da cintura. Volta logo criatura!

 

- a vida é muito, mas muito curta para politicagens de escritório.

 

hihihi

Quem acredita em comida afrodisíaca?

Eu tenho alguns pareceres sobre o assunto.

Levemos em consideração o aspargo. Dizem que é afrodisíaco. Mas fui pesquisar e descobri que a teoria surgiu em algum lugar do passado por causa da forma do dito cujo que lembra...bem...um dito cujo.

 

Os amendoins, gemas de ovo e catuabas, por exemplo. Dão força e alimentam, então talvez sejam, indiretamente, afrodisíacos.

 

Já as ostras e os mexilhões, esses funcionam. Sei lá porque. Mas dão um fogo danado. Ou será que foram as cinco taças de vinho?

 

 (hihihi) 

Enfim...segue uma receitinha ótima que dizem ser afrodisíaca...chama "Lover's linguini". É uma delícia. Agora, quanto a ser afrodisíaca, sei não...Vou ter que fazer mais testes...Hihihi.

 

Lover’s Linguini

 

  • 450 gramas de linguini
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 1 dente de alho, picadinho
  • 1 e ½ xícara de cogumelos, cortados em 4
  • 1 xícara de aspargos, cortados em pedacinhos
  • 1 xícara de fundos de alcachofra
  • 1 lata de creme de cogumelos (aqui vende essa sopa em lata, no Brasil não sei…) 

Refoga na manteiga o alho, cogumelos, aspargos e alcachofras. Acrescenta a sopa e cozinha em fogo moderado por 10 minutos, mexendo sempre. Cozinha o linguini, mistura tudo, acrescenta pimenta e…me conte os detalhes picantes!

os vestidos...

aqui estão, finalmente...os concorrentes à estatueta de pior vestido!

And the Oscar goes to...Dolly, para sempre! Mas ela tem licença poética!

 

And the Oscar goes to...

Eu sei que o Oscar é bobagem. E não uso o Oscar para escolher os filmes que quero ver. Mas, tenho que confessar que AMO o Oscar. Esqueça a porção cinematográfica da cerimônia. O que eu gosto mesmo é de ver os vestidos. E comentar.

Uma de minhas maiores fantasias é ir ao Oscar, com um vestido que Giorgio Armani enviou especialmente para mim. Aliás, estou com a agenda livre para março do ano que vem, se alguém aí for indicado e precisar de companhia.

Voltando aos vestidos…este ano não tinha ninguém para comentar comigo. Até mesmo o gringo-lindo - que já é treinado para essas peculiaridades de minha personalidade e comenta todo tipo de bobagem - achou que ficar acordado até a uma da manhã para ver o Oscar era demais. Então vi sozinha. E decidi fazer uma lista dos melhores vestidos. Mas, pela primeira vez na história, melhores vestidos estavam mais difíceis de encontrar do que cabelos da cor natural. Gente, será que os estilistas largaram mão, colocaram os estagiários para desenhar e estão tomando champagne rosa nas Bahamas?

Para provar essa teoria, estou elaborando uma lista dos piores vestidos...aguardem.

perguntas que não querem calar 2

Como eu consegui voltar à Gringolândia branca e resfriada? Como pode alguém voltar de um mês no verão brasileiro parecendo uma lagartixa do nariz vermelho?

PS: Prometo que essa foi a última pergunta mal humorada. O mês na terrinha foi ótimo, o Carnaval já acabou, a gripe está passando, a TPM quase e dizem que não vai fazer quatro graus para sempre. O próximo post virá carregado de purpurina.

[ ver mensagens anteriores ]