Cúma?

Uma da tarde. Consulado brasileiro na Gringolândia. Guerreira, como boa brasileira que é, na fila para transferir o título eleitoral, juntamente com outros novecentos brasileiros que tiveram a mesma idéia de deixar para a última hora.

No guichê (essa palavra é sensacional) ao lado, a seguinte conversa se desenrola...

 

Personagem 1 - Noiva vinda diretamente do cartório. Terninho branco, buquê de rosas brancas num braço, maridão francês branco no outro.

 

Personagem 2 - Jovem moça toda afoita e serelepe. 

  • SERELEPE - Oi, desculpa, estou vendo que você casou e veio registrar o casamento aqui. Como está sendo o processo todo, fácil? Estou indo para o Brasil e queria resolver meu casamento antes. 
  • NOIVA - Então, bla bla bla bla...Mas já que você está indo para o Brasil, porque não resolve isso lá?
  • SERELEPE - É que meu namorado sueco não vai e já queria sair daqui casada. E com a papelada resolvida.
  • NOIVA - Porque? Tem medo de não conseguir entrar de volta?
  • SEREPELE - Não é isso...é que quero sair daqui casada.
  • NOIVA - Mas por quê? 
  • SEREPEPE - É que não quero deixar meu namorado sueco aqui sozinho, vai que o processo de autenticação demora, sei lá.
  • NOIVA - Ahhhh, é ciumenta, né?
  • SEREPELE - Não sou. Não é isso.
  • NOIVA - Então por quê?
  • SERELEPE - É que....sei lá....vai que ele muda de idéia. 

PS: Sei que às vezes parece mentira, mas juro que todas as histórias aqui contadas são verídicas! Não é minha culpa se as pessoas são assim!

Creminho bão!

Eu sou meio desconfiada com essas revistas femininas. Leio todas, que fique claro. Mas gosto de achar que não estou sendo influenciada. Hahaha. Mesmo que a cada página eu decida que preciso imediatamente e desesperadamente de coisas utilíssimas como sapatos plataforma de crochê, saias tulipa e bolsas de palha azul turquesa.

Então imaginem minha desconfiança (e meu interesse) quando a Elle britânica estampou em sua capa "The £7 moisturiser that made us stop wearing make up" (algo como "O hidratante de 7 libras que fez com que parássemos de usar maquiagem").

Mmmmmmm, pensei. Pode ser tudo mentira. Mas se for verdade, o creme deve ser bom mesmo já que as editoras de beleza aqui da gringolândia têm a mãozinha pesada na dupla base-pó.

Como meu hidratante estava no fim, resolvi pagar para ver. E...era tudo verdade. O creme é bom mesmo! Eu, que já não usava maquiagem no dia-a-dia, passei a não usar com mais convicção!

Recomendo! Trata-se do OLAY COMPLETE CARE MULTI-RADIANCE FLUID.

 

 

PS: Para os leitores brasileiros, estou topando viagens-muamba! E só mandar uma passagem que eu levo o creme!

 

Poema de fim de inverno

Casaco, criatura

Sai da minha frente

Já não posso mais te olhar

 

Se no começo do inverno

Eras novo e formoso

Agora no lixo quero te jogar

 

Seus botões estão caindo

Cheio de cabelos estás

Te visto e desato a chorar

 

Sei que a culpa não é sua

E sim desse frio glacial

Mas sou injusta e não pretendo mudar

 

Abaixo o casaco, viva a regata

Que venha a primavera

Ou me transformo num urso polar

 

 

 

Eu que inventei!

 

Falta de competitividade + concentração de criança de 5 anos = drink novo!

 

Estava jogando "Master" com amigos, perdendo ridiculamente. Algumas rodadas depois, como sempre, perdi também o interesse. E resolvi ser fofa e preparar coquetéis para os colegas que me venciam sem dó nem piedade. A idéia não era deixá-los bêbados para que eu ganhasse o jogo. Era mais deixá-los bêbados para que parassem de jogar. E me dessem atenção. Sim, porque não sou competitiva, mas adoro ser o centro das atenções.

Assim surgiu o drink 3.0 (batizado em homenagem ao meu aniversário, já que foi inventado no final de semana comemorativo). Quem já bebeu e lembra, recomenda!

 

3.0

 

  • 1 medida de vodka
  • 0,5 medida de Grenadine
  • 2 medidas de suco de laranja
  • Sprite ou similar
  • Gelo 

Mistura a vodka, Grenadine, suco de laranja e gelo em uma coqueteleira. Coloca em um copo alto com 2 pedras de gelo. Completa com a Sprite.

3.0 mais 6

Então estava eu esperando o gringo-lindo buscar o carro alugado para nossa viagem (sim, porque o único meio de transporte que possuo são minhas pernas que, apesar dos 3.0, continuam em cima!).

Até então, sabia que iríamos de carro e que eu não precisaria levar o passaporte. De repente, chega gringo-lindo em casa. Acompanhado de alguns dos meus mais queridos amigos! A surpresa era uma viagem com membros preciosos da minha família londrina. Para um chalé em uma praia de penhascos no País de Gales, aqui conhecido como Wales, que significa Baleias, mas aí já estou divagando.

A viagem foi sensacional e bateu qualquer final de semana romântico, viu, amigos que ficaram com medo de que eu ficasse decepcionada com o final de semana "um milhão de amigos" ao invés de "detalhes tão pequenos de nós dois"! Tudo bem que coloquei velas perfumadas na mala...Serviram para perfumar a sala do chalé depois de memoráveis baladas!

3.0

Então os 30 estão chegando e estou ansiosa. Na verdade nem tanto pelos 30, mas pela viagem de comemoração surpresa que o gringo-lindo escolheu, comprou, marcou e não me conta de jeito nenhum para onde é. Fofo, né? Mas também um pouco assustador. Vejam bem. Outro dia pedi para ele me dar dicas sobre o que devo levar na mala. Hahaha. Roupas, foi a resposta. Quem mandou eu perguntar. Mas ele acabou dizendo que preciso levar minhas botas de caminhar e uma jaqueta à prova d'água. Ao que respondi:

 

EU: Criatura, ainda está frio. Você não está me levando para acampar, está?

G-L: Não, mas leve suas botas de caminhada.

EU: Não serve um tênis?

G-L: Não.

EU: Você sabe que eu quero fazer 30 bebendo champagne e não vinho barato de caneca, não sabe?

G-L:............ (silêncio lacônico)

 

Entenderam minha apreensão? No final ele diminuiu um pouco meu pânico dizendo que também devo levar saltos altos. Então ou ele está tirando uma ou meio do mato total não deve ser.

 

Enfim, embarco (sei lá em que meio de transporte) na quinta-feira. Volto no domingo. Mais velha. E com a resposta ao enigma.

 

[ ver mensagens anteriores ]