London calling

ele...

Passava por ele todos os dias quando caminhava para o trabalho. Ele sempre sentado no mesmo banco, em frente à mesma praça, no mesmo lugar. Ruivo. Às vezes eu me perguntava o que fazia ali, dia apos dia. Porque estava sempre lá, como que pregado àquele banco. Imaginava sua história, teria alguém? Ele nunca me olhava. Parecia não reparar em minha passagem.

Um dia, voltando para casa, estava calor e passei mal. Frescuras de quem está há muito tempo longe dos trópicos. Precisei me sentar, exatamente naquele banco. Mas ele não estava lá. Achei estranho, mas confesso que achei melhor assim. Quem sabe ele fosse ciumento de seu lugar.

De uns tempos para cá, não o via mais e parei de pensar nele. Até hoje, quando voltava caminhando sozinha do cinema depois de ter assistido a um filme japonês (porque como sabem não sou dada apenas a futilidades). Reparei que o banco havia sido trocado. Um novo banco ocupava seu lugar. Meio cafona, na minha opinião, preferia o outro. Percebi também que a praça estava bem cuidada, a grama aparada, verde brilhante. Foi então que vi. A pequena placa, logo acima do banco. “In the loving memory of the ginger cat”.

Na floresta…

Aluguel de carro - 17 libras por pessoa

 

Compras de supermercado incluindo salsichas e biritas - 25 libras por pessoa

 

Acordo com São Pedro para não chover no final de semana, apesar da chuva torrencial da semana anterior - promessa de uma bitoquinha na chegada ao céu (hihihi, mal sabe ele que com meu currículo não vou passar nem perto dos portões do paraíso!)

 

Dois isopores com gelo seco que permitiram dois dias acampando no meio do mato com produção constante de gelo para gins & tonics - não tem preço!!!!!! (mas ser amiga de uma farmacêutica e um biomédico é um bom começo).

 

Ricos e famosos

Hoje vi a atriz-que-virou cantora Juliette Lewis no caminho para o banco. Ela tem a mesma cara do que tem nos filmes. E parece mesmo com minha melhor amiga (que é muito mais bonita). Até pensei em interceptá-la para contar que todo mundo diz para minha amiga que as duas são parecidas. Mas achei que ela não ia se interessar tanto pela minha história.

 

 

Com essa nova aquisição ao meu rol de pessoas famosas que já vi aqui na Gringolândia, ele fica assim:

 

- Daniel Day Lewis (achei ele muito magro e abatido)

- Liv Tyler (passei mal)

- Juliette Lewis

- As costas do menino que fez Billy Eliot no cinema (minha amiga viu, me avisou, mas já era tarde e só vi ele de trás)

- O chapéu da falecida Rainha-Mãe (pararam o trânsito na frente do Palácio e saiu o carro. Mas só consegui ver o cabelinho branco e o chapéu. Como sei que era ela? Só Rainha-Mãe usaria um chapéu roxo!).

Anglomania

Em Nova York, foi aberta a exposição "Anglomania", no Costume Institute do Metropolitan Museum of Art. A mostra traz criações de gente como a verdadeira rainha da Inglaterra, Vivienne Westwood, Alexander McQueen e John Galliano. Enquanto isso, na Sala de Justiça, fiquei pensando em como a moda britânica pode ser sensacional. Pensei em escrever sobre isso, mas no final achei mais divertido falar sobre as aberrações fashion da Gringolândia. Criaturas, são tantas! Mas listo as minhas preferidas.

Pensei também em colocar fotinhos para acompanhar, mas decidi deixar à cargo da imaginação dos leitores, que pode ser ainda mais cruel do que flash e má iluminação! 

  • Topo da calcinha fio-dental aparecendo para fora da calça jeans de cintura baixa. Essa é uma mania aqui...me dá arrepios de horror só de pensar...mas dizem que os homens gostam...homens, vocês gostam?
  • Piercings dourados (sem comentários)
  • Micro saia jeans, top e sandália de salto agulha...no auge do inverno...quando está 1 grau e euzinha estou coberta até a alma...
  • Meninas laranja autobronzeador no frio...ou em qualquer estação...laranja definitivamente não é uma boa cor de pele.
  • Calça jeans com jaqueta jeans...pior ainda quando os dois são de lavagem clara. Sei que tem gente que gosta, mas jeans com jeans é um ódio pessoal meu...
  • Calça de moletom para dentro de bota felpuda (vi essa hoje vindo para o trabalho e pensei, alguém lá em cima...ou lá embaixo...gosta de mim!)

(God save the Queen!)

Poema de fim de inverno

Casaco, criatura

Sai da minha frente

Já não posso mais te olhar

 

Se no começo do inverno

Eras novo e formoso

Agora no lixo quero te jogar

 

Seus botões estão caindo

Cheio de cabelos estás

Te visto e desato a chorar

 

Sei que a culpa não é sua

E sim desse frio glacial

Mas sou injusta e não pretendo mudar

 

Abaixo o casaco, viva a regata

Que venha a primavera

Ou me transformo num urso polar

 

 

 

passada, pretérita, PERFEITA!

Meninos e meninas, eu vi! Vi e fiquei passada. Estou passada até agora! Vi a menina mais bonita do mundo. Vi Liv Tyler!

Estava eu sentadinha na Selfridges, pacientemente esperando minha vez de ter minhas sobrancelhas retiradas a golpes de fio-dental (veja post anterior). De repente, ela aparece! Linda, de batom vermelho, que eu geralmente odeio mas que nela ficou maravilhoso. Parou, assim, bem pertinho, para observar a retirante-de-sobrancelha em ação na cliente que me precedia. Ficou lá, uns 2 minutos, mostrando e explicando para o marido do que se tratava. Fez cara de quem conhece e usa a técnica. My God, eu e Liv Tyler usamos a mesma técnica de tirar as sobrancelhas!

 

Ainda bem, ainda bem que cheguei atrasada! Se fosse eu na cadeira, de olhos fechados, teria perdido a passagem da sereia!

 

 

Olha, meu negócio não é meninas mas, se fosse, minha gringa-linda seria Liv Tyler.

 

All you need is Stella

Vem aí a coleção da Stella McCartney para a H&M. Para quem não conhece alguma das duas, a Stella McCartney é estilista, filha do Paul e custa $$$$$$$$$. A H&M é a loja sem a qual eu seria uma pelada ou maltrapilha, onde as coisas custam $. Aí que as duas resolveram fazer uma coalisão para uma coleção única com peças de uma, a preços de outra. No ano passado, o Karl Langerfeld fez projeto parecido. As roupas esgotaram rapidinho. Eu até peguei uma xepa, mas confesso que as peças não fizeram muito meu estilo, então deixei passar (afinal, apesar de gostar de lantejoulas, um blazer preto inteiro brilhante é um pouco demais, dear Karl). Mas dessa vez vai ser diferente. Eu geralmente não sou fã da herdeira McCartney, mas já dei uma espiada na coleção (que só chega às lojas no dia 10 de novembro). E amei várias peças! Sei que vai ter perua acampando na porta na noite anterior. Eu não chegarei a tanto porque tenho um nome a zelar, mas vou arrumar um jeito de passar lá antes do trabalho! Eba!

Aqui vai uma prévia das peças mais legais, que eu escaneei para vocês...As fotos são da Revista Elle britânica, com a Kate Moss. (Aliás, ela acabou sendo afastada da campanha por causa do escândalo-em-pó, então essas fotinhos aqui são raridades!!) 

(Minha peça preferida acima! Por essa eu puxo cabelo)

London

Ontem fiquei um tempão olhando o gringo lindo dormir...falei com todos os meus amigos, recebi mil ligações, emails e mensagens, lembrei de como tem gente que gosta de mim. Fiquei triste, fiquei revoltada, mas fiquei principalmente feliz por estar inteira e poder dizer "estamos bem".

Summer and the city

Existem duas cidades completamente diferentes: Londres no inverno e Londres no verão. Parece que o sol transfere a cidade para uma outra dimensão, como no desenho do Super-Homem, em que tinha o Super-Homem bonzinho em uma dimensão, mas se você dissesse o nome do vilão-anão ao contrário - Mxyzptlk - iria para a dimensão onde, quem diria, Super-Homem era malvado. Aqui em Londres as pessoas passam de peles brancas, casacos pretos e humores cinzas do inverno para peles vermelhas-não-usei-protetor ou laranja-bronzeamento-artificial, vestidinhos coloridos e humores idem do verão. Sai vinho tinto, entra pims & lemonade (meu novo drink preferido). Qualquer pedacinho de grama vira mesa de picnic na hora do almoço, crianças pequenas e nem tão pequenas tomam banho nas fontes da cidade e churrasco vira programa obrigatório nos finais de semana. Claro que, com um verão tão curto, Londres também sofre com a falta de ar condicionado na maioria dos lugares (inclusive aqui de onde esta pessoa em ebulição escreve), a expansão dos trilhos do metrô por causa do calor (sério, aconteceu ano passado) e o excesso de pernas branquelas andando por aí. Mas, depois de longos meses de tenebroso inverno, a empolgação é contagiante. E lá vamos nós botar as pernas (agora já nem tão) brancas de fora, sentar na praça embaixo do sol e sorrir só porque o termômetro passou da casa dos 20 graus!

 

Bem-me-quer - a missão

O post abaixo gerou váaaarios e óooootemos comentários de londrinos, ex-londrinos e londrinos pero no mucho e por isso merece virar dobradinha!  Aqui vai a seleção de comentários, de autoria de:

 Karina   Starobas   Carols   Andrea

Bem-nos-quer London

  • VPL - Visible paintie line (starobas)
  • ENGLISH BREAKFAST - English breafast podrão num pé-sujo em frente ao Kings Cross Thameslink, eggs, bacon, beans, hash browns, 2 toast, tea with milk (starobas com yummis gerais)
  • BRINDES DE REVISTAS - bolsas, biquínis e óculos escuros (carols)
  • BAGUETTE DO SANSBURY'S - Com um naco de manteiga slightly salted é tudo. Dá até pra trair o pão francês sem dor na consciência! (andrea)
  • COISITAS - cera da Tony and Guy, meias de 1 pound, pão da Percy and Igle, todos os tipos no metrô, baladas ótimas, calcinha fio dental, baked beans on toast! (karina)
  • ACESSO - mamatas para deficientes físicos - shows, teatros e muitos cinemas me deixam levar um "carer" de graça, então sempre tem uma gatinha pra cuidar de mim...No Eurostar, a rainha das mamatas: como não tem assento pra cadeira de rodas na Segunda Classe, pago tarifa promocional de primeira (59 libras return) na First...encho a cara, o bucho, leio e levo todas as revistas, até a Vogue e a Cosmopolitan pras amigas...consumo os 59 e a viagem sai na vascaína. (starobas)

Mal-nos-quer London

  • INGLESAS COM VLP - As inglesas desbundadas que as vestem (starobas)
  • ENGLISH BREAKFAST - It's after-effects (starobas)
  • GENETICAMENTE MODIFICADO - frutas sem gosto (karina)
  • EFEITO SARDINHA - metrô lotado das 6pm, bloody sardine can!!!! (carols)
  • PEOPLE - pessoas grossas, principalmente vendedores e motoristas de mini-cab (karina)
  • NOITES COMPLICADAS - pubs fechando as 11pm, ter que voltar da balada de night bus (karina)
  • ACESSO NEGADO - predios velhos, sem elevador, escadas e mais escadas, difícil ir na casa das pessoas, também não posso pegar o metrô, e alguns bouncers não me deixam entrar nos clubs porque me consideram um "fire hazard" (starobas)

PS: quem já tomou café-da-manhã pós-bagaceira em BucklandCourtland sabe que o baked beans on toast é nervoso e não deve nada a sujinhos de Kings Cross! Que venha la gordura!

Bem-me-quer

Meu affair com Londres tem fases. É uma relação intensa, uma coisa amor-e-ódio. Não consigo pensar em ir embora agora, não consigo pensar em ficar para sempre. Estava pensando sobre isso, olhando feliz a cidade mudar com a aproximação do verão. E resolvi fazer uma listinha do que eu amo e odeio nesta que hoje é mais a cidade do curry do que de fish and chips. Claro que vou lembrar de mil outras coisas assim que postar...mas, para minha absoluta surpresa de criatura reclamona, consegui pensar em mais coisas legais do que coisas ruins.

 

Foto: Marcelito Starobas

 

Bem-me-quer London 

  • AS QUATRO ESTAÇÕES - aqui, as estações são bem determinadas, a cidade muda, você muda e a árvore em frente à minha janela muda.
  • OS HOMENS NUNCA MEXEM COM VOCÊ - nem mesmo na obra.
  • NÃO PRECISAR DE CARRO - poder depender de ônibus, metrô ou das minhas pernas.
  • EUROPA - qualquer lugar da Europa está a uma Easyjet de distância.
  • POUNDS - Pode ser caro morar aqui, mas é uma delícia viajar com libras. A moeda é forte e tudo fica baratinho. Se bem que aí eu acabo gastando muito porque tudo é baratinho...mas isso é outra história.
  • SEGURANÇA - Temer apenas pelos meus bens materiais, nunca pela minha vida.
  • ROTATIVIDADE - Tem sempre alguém querido chegando.
  • LOJAS ÓTEMAS - Topshop ($$), H&M ($), Primark (-). I love you all!
  • PARQUES - Para quando o tempo ajuda, tem um parque a cada esquina.

Mal-me-quer-London

  • INVERNO ETERNO - é frio, é escuro e demora séculos para passar.
  • OS HOMENS NUNCA MEXEM COM VOCÊ - nem mesmo na obra.
  • PREÇOS - tudo é caro, até o programinha mais básico de cinema-jantarzinho fica sendo luxo.
  • ROTATIVIDADE - Tem sempre alguém querido indo embora.
  • INGLESAS - São sem sal, vêem outras mulheres como competição e não dão papo em banheiro de bar. Mas, claro, há várias excessões!
  • COMIDA - Parece que já melhorou muito, mas ainda deixa a desejar. Muito pão branco de forma, muito enlatado, muito sanduíche sem recheio suficiente. É por isso que eu aprendi a cozinhar!
  • PUBS FECHANDO ÀS 23HS (adendo) - Como pude esquecer! Mal-me-quer forever!

A fauna e a flora

Estava pensando em como morar em Londres é uma experiência multicultural. Clichê, eu sei. Mas verdade.
O meu prédio é um exemplo. No meu apartamento já tem a mistura fina de cachaça com schnapps. Do lado esquerdo mora uma atriz indiana bacana. Do lado direito, uma enfermeira chinesa folgada e que não me fala oi. Ao lado dela, dois albaneses que têm cara de malvados mas são gente boa. Em cima, mais um casal improvável, um marroquino tímido e uma canadense divertida. Do lado deles, bom, lá mora um inglês mesmo, talvez o único do prédio todo. Um veterano de guerra levemente perturbado que não ouve direito, fala gritando, limpa janelas e já me deu dicas de como os soldados fazem para alargar botas apertadas (enche o sapato com jornal embebido em um produto que esqueci o nome - sorry - e deixa por várias horas).
London, London...

[ ver mensagens anteriores ]