Palpitando

boleiros

A cada quatro anos os meninos enlouquecem. Começam até a achar o Ronaldinho bonito. Não importa se é

Brasil X Argentina ou Irã X Muzambinha, o jogo vai ser mais importante do que você. E não adianta fazer strip-tease em frente à TV. Eu sei por que já tentei. O máximo que consegui foi escutar um "heeeeeei, dá licença!". Ou será que é só o meu menino que é assim?

Enfim, se o jogo é do Brasil eu torço. Se não é, me divirto de outras formas. Principalmente avaliando os jogadores mais bonitões. Este ano, pelo que assisti até agora, a seleção italiana está arrasando. Tem um tal de Toni que benza deus!

Me fez ter saudades daqueles tempos idos dos anos 70 quando os shortinhos eram curtos e as camisetas apertadas!

E olha que eu não gosto de homem italiano. Todo aquele "ciao mas que bella ragazza" perdeu a graça quando visitei a Itália pela primeira vez.

 

 

(os favoritos)

 

 

(goleiro alemão, menção honrosa da guerreirinha

 ...muito bem lembrado)

Freud my ass!

Dando início à série "Invasões Bárbaras" ou "Palpite no blog dos outros é refresco", ou ainda "Não é só a minha vida que é um seriado", segue a contribuição da blogueira convidada Denise.

 

Neurótica mas limpinha, vou numa primeira conversa com um psicólogo. Explico que parei com minha ex-psic pq ela não repunha sessões. O fulano engata quinta num discurso de 20 minutos sobre o absurdo e a total falta de respeito que é querer que o terapeuta reponha sessões. Ok, acho que não vai rolar então, digo eu. Não se dando por vencido, ele começa outro monólogo, dizendo agora que essa minha necessidade de repor sessões provém do meu medo de compromisso, com a terapia, com o trabalho, com a vida, e que é essa também a causa de toda a minha angústia, de todos os meus problemas. Sem contar do momento em que perguntei qual a formação dele, e ganhei um terceiro lero-lero com muita arrogância e pouca paciência.
Bom, então acho que vou embora, disse eu finalmente.
Ao que ele rebate, OK. São 200 reais.
O pior da história: o psicólogo tinha 2 tik nervoso no olho e era meio fanho. Ou seja, 50 anos de terapia sem faltar a sessão e o problema persiste.
E não, não paguei os 200 reais.

 

os vestidos...

aqui estão, finalmente...os concorrentes à estatueta de pior vestido!

And the Oscar goes to...Dolly, para sempre! Mas ela tem licença poética!

 

And the Oscar goes to...

Eu sei que o Oscar é bobagem. E não uso o Oscar para escolher os filmes que quero ver. Mas, tenho que confessar que AMO o Oscar. Esqueça a porção cinematográfica da cerimônia. O que eu gosto mesmo é de ver os vestidos. E comentar.

Uma de minhas maiores fantasias é ir ao Oscar, com um vestido que Giorgio Armani enviou especialmente para mim. Aliás, estou com a agenda livre para março do ano que vem, se alguém aí for indicado e precisar de companhia.

Voltando aos vestidos…este ano não tinha ninguém para comentar comigo. Até mesmo o gringo-lindo - que já é treinado para essas peculiaridades de minha personalidade e comenta todo tipo de bobagem - achou que ficar acordado até a uma da manhã para ver o Oscar era demais. Então vi sozinha. E decidi fazer uma lista dos melhores vestidos. Mas, pela primeira vez na história, melhores vestidos estavam mais difíceis de encontrar do que cabelos da cor natural. Gente, será que os estilistas largaram mão, colocaram os estagiários para desenhar e estão tomando champagne rosa nas Bahamas?

Para provar essa teoria, estou elaborando uma lista dos piores vestidos...aguardem.

Rainbow Warrior

Quando cheguei aqui à Gringolândia, tinha absoluto ódio ao Starbucks.

 

Para quem não conhece, trata-se da rede de cafés americana, alvo preferido dos anticapitalistas, que se espalhou feito pulga aqui pela Europa. Até em Vienna, cidade dos cafés verdes com lustres maravilhosos, como disse Lili, apareceram uns, para desespero dos gringolindenses.

 

Enfim, quando por aqui cheguei odiava o tal. Parcialmente influenciada por meu amigo guerrilheiro que odeia o capitalismo mas fuma Malboro (saudades). E secretamente influenciada pelo fato de que um café com leite custava a metade do meu salário de Isaura.

 

 

Mas o tempo foi passando, o salário levemente aumentando, o guerrilheiro sumindo e lá pelas tantas acabei entrando no café proibido. E aquele sorriso grudado com superbonder na cara dos atendentes que antes me irritava me fez sorrir na cidade onde as pessoas não sorriem.

 

E o café, aaaaah, o café. Tão cremoso que às vezes eu tomo de sobremesa.

 

No começo eu ainda tinha uma certa consciência pesada e entrada disfarçada com enormes óculos escuros. E não raspava a perna por um dia para compensar.

 

Mas, quer saber, quando está escuro e gelado até mesmo o mais dedicado ativista que mora em cima da árvore precisa de um mimo. E eu não como McDonalds. E é possível fazer o bem de salto alto e lipgloss.

 

Falei! 

Do Senegal à Sibéria parte 1

Oie! Voltei...

E depois da festança de reveião, as histórias, contos e causos da Indonésia se fundiram com os delírios etílicos da gringo-lindo-lândia (Áustria) e virou tudo um grande schnitzel na minha cabeça...então, sem ordem ou razão definida, aqui vão algumas impressões...

 

* as aeromoças mais fashion do planeta são as da Fly Niky, a companhia aérea "budget" do Niky Lauda (lembram?). O uniforme é um vestido jeans com um cinto e botas no joelho. Arraso! Além do que são todas louras-e-lindas...humpf...

 

 

* em compensação, as aeromoças da Singapore Airlines parecem origamis feitos de cortinas velhas...pobrecitas. Um vestido disforme com estampas que, imagino, devem decorar as janelas das avózinhas orientais...e nos pés, pantufas do mesmo tecido...só se salvam os cabelos, em coques-escultura mesmo depois de 14 horas de vôo (quando o cabelo de nós pobres mortais atinge a consistência de um esfregão).

 

 

* confirmei o que já sabia: a única coisa que me faz sair de casa em dia de nevasca e 5 graus negativos são as liquidações pós-natal.

* equação alto-verão: franja + 40 graus + umidade = bigode Sarney bem no meio da sua testa.

* equação inverno-maluco: cabelo molhado + gorro 24 horas por dia + neve = abajur adornando sua cabeça.

 

a vocês...

Às vezes você descobre coisas engraçadas. Visões distorcidas que os outros têm de você. Primeiro acha divertido. Depois fica meio cabreira pensando nas causas da distorção...

Às vezes você se lembra que é humana e descobre que está com medo. Que nem a carcaça nem toda aquela pose de durona vão ser suficientes para fazer o medo passar e que você terá que ir, para o alto e avante, com medo mesmo.

Às vezes os dois acontecem juntos e fazem o chão tremer, feito terremoto de 3 graus na escala Richter.

Às vezes a dose diária de quentura no coração vem de onde menos se espera, de pessoas sem rosto e com rosto que deixam um recadinho meigo para um post bobo em um blog que te lembra da guerreira que você sabe que é.

 

dúvidas

Será que todas as meninas...

 

  •  fazem bolinha com os cabelos que caem no banho
  • acham que estão ficando carecas quando caem os cabelos no banho  (é sério, minha finada avó iemenita ficou meio careca, vai que é genético)
  • fazem poses de modelo na frente do espelho antes de entrar no banho e descobrirem que estão ficando carecas
  • compram blusas verdes brilhantes que nunca vão usar só porque estava na liquidação "buy one get one free" (sendo que o "one free" é uma camiseta cor-de-rosa com cara de pijama de hospital)
  • tem certeza absoluta que engordaram de ontem à noite para hoje de manhã
  • apesar de terem um modelo básico planejado para manhãs de bloqueio-mental-fashion, acabam deixando de lado o jeans + camiseta preta e resolvem inovar. E acabam saindo com a blusa verde brilhante que nunca deveria ter sido comprada...ou usada.
  • imaginam seus hombres acompanhados de loiras peitudas esculturais quando eles ficam até mais tarde no bar. Ah, e esqueci de mencionar que as loiras têm doutorado em ciências políticas e sabem quem venceu a Copa do Mundo de 1506. 

Ou será que sou só eu??

 

rainha de copas

Podem dizer que sou louca. Míope e equivocada. Mas acho que se veste muito bem Camilla Parker-Bowles, a nova princesa da Gringolândia (ops, duquesa da Cornuália, sorry Diana). Não estou dizendo que ela é bela ou formosa. Mas desde seu casamento com Charles (céus, que coragem), ela virou a rainha de usar a roupa certa para a ocasião apropriada. Pensem bem, não deve ser fácil, com a idade mais avançada, milhões de pessoas esperando para criticar seu modelo e um corpo que as curvas esqueceram de abraçar. Mas ela vem mandando bem. Arrasou no casamento e fez bonito na turnê americana dos pombetos. Meu coração ainda é de Diana, mas Camilla está me conquistando. Porque senso de estilo, colegas, é qualidade muito rara na realeza.

 

 

dois bons momentos de Camilla.

Salada

Eu sou, como eles dizem aqui, uma "menina das meninas". Isso quer dizer que adoro o universo feminino, amo minhas amigas e detesto mulher que fala que "mulher é tudo traiçoeira". Só se forem as suas mulheres, honey. As minhas são f-a-b-u-l-o-s-a-s!

E uma das meninas sensacionais que já cruzei nessa vida escreveu dois poemas ainda mais sensacionais sobre dois tipos bem diferentes de mulher! A Mulher Alface e a Mulher Rúcula!

Aqui vai, by Dani Mel.

PS: Rúculas, unidas, jamais serão vencidas!

 

MULHER ALFACE

Sem graça, sem alça, sem classe
Sonsa, se faz de santa, de tonta

Não tem mistério, nada de especial
Nunca sai do sério, falta sal

Não dança sozinha
Não bebe caipirinha
Faz tipo de boazinha
Até que é bonitinha...

Na balada só bebe água
Faz o tipo bem comportada
Parece marionete programada
Só fala quando é acionada

Então por que os caras querem te namorar?
Será que é porque pensam que podem te controlar?

Acontece que no fundo você manipula
Segue direitinho a receita da bula
Chega de mansinho como quem não quer nada
E se enfia logo no posto de namorada

Eles não vêem o perigo disfarçado
Não percebem seu jeito inocente mascarado
Essa tua cara de alface molhado
Fingindo incapacidade de olhar pro lado

Você não é feia nem bonita
Não é chata nem legal
O que realmente irrita
É que você é muito normal

 

MULHER RÚCULA

Ardida, interessante
Apimentada, meio malvada

Desenibida, um pouco falante...

Dança sozinha, entra sem carteirinha
Personalidade forte
Vive tentando a sorte

Esquentada, docinha, encrenqueira,
engraçada,doidinha,  barraqueira
Inquieta, vive de dieta
Compulsiva, desconta tudo na comida

Às vezes trash, às vezes light
Meio de lua, meio na sua
Meio sincera, meio na dela, meio Cinderela...
Desencanada, viajada, descolada

Vive tentando se dar bem
Às vezes tem xilique, às vezes fica zén
Lógico que ela quer namorar
Mas não é deseperada pra casar

Não joga, não enrola, fala sempre a verdade
Não esconde que tem saudade
Tem um monte de amigos
Especiais, novos e antigos

Só que os homens fogem dela
Com um medo que só eles sabem explicar
Os que encaram fazem coro
Rúcula só tem a acrescentar
Tem que, pelo menos, experimentar

A mulher rúcula faz toda a diferença
Você pode gostar ou não
Mas, com certeza, não se esquece da sua presença... 

 

O luxo

Recadinho de Coco Chanel para o povo da Daslulândia:

"Algumas pessoas acham que luxo é o oposto da pobreza. Não é. É o oposto da vulgaridade."

 

Live 8

Depois de dez horas no ar, dentro de um estúdio acompanhando e comentando o Live 8, cheguei quase a exaustão mental, mas também a algumas conclusões...

[ ver mensagens anteriores ]